A preguiça

Revista Espírita 1858 » Junho » A preguiça — por São Luís

DISSERTAÇÃO MORAL DITADA POR SÃO LUÍS À SRTA. ERMANCE DUFAUX

(EM 5 DE MAIO DE 1858)011504c14d462529d75e6bf8ff449f87

I

Um homem saiu muito cedo e foi à praça para contratar operários. Ora, ali viu dois homens do povo, sentados e de braços cruzados. Chegou-se a um deles e assim o abordou: “Que fazes aí?” Ao que o mesmo lhe respondeu: “Não tenho trabalho.” Disse então aquele que procurava trabalhadores: “Toma a tua ferramenta e vem ao meu campo, na vertente da colina, onde sopra o vento sul; cortarás as urzes e revolverás o solo até o cair da noite. A tarefa é dura, mas terás um bom salário.” O homem do povo pôs a enxada no ombro, agradecendo-lhe por isso, de todo o coração.

Ouvindo isto, o outro operário levantou-se e aproximou-se, dizendo: “Senhor, deixe-me ir também trabalhar no campo.” E, tendo-lhes dito a ambos que o seguissem, marchou à frente, para mostrar o caminho. Depois, quando chegaram à encosta da colina, dividiu o trabalho em dois e se foi.

Quando ele partiu, o último dos operários contratados pôs fogo no mato da gleba que lhe coube por sorte e revolveu a terra com a enxada. Sob o ardor do sol, o suor porejava-lhe de sua fronte. O outro o imitou, a princípio murmurando, mas em breve parou o trabalho e fincando a enxada no chão sentou-se ao lado, olhando o trabalho do companheiro.

Ora, ao cair da tarde veio o dono do campo e examinou o trabalho. Chamando o operário diligente, felicitou-o dizendo: “Trabalhaste bem. Eis o teu salário.” E despediu-o, dando-lhe uma moeda de prata. O outro também se aproximou, reclamando o preço de seu salário, mas o dono lhe disse: “Mau trabalhador, meu pão não matará a tua fome, porque tu deixaste inculta a parte de meu campo que te foi confiada. Não é justo que aquele que nada fez seja recompensado como o que trabalhou bem.”

E despediu-o sem nada lhe dar.preguic3a7a-capa

 II

 Eu vos digo que a força não foi dada ao homem, nem a inteligência ao seu espírito para que consuma seus dias na ociosidade, mas para ser útil aos seus semelhantes. Ora, aquele cujas mãos estiverem desocupadas e o espírito ocioso será punido e deverá recomeçar a sua tarefa.

Em verdade vos digo que sua vida será posta de lado como coisa imprestável, quando seu tempo se cumprir. Compreendei isto como uma comparação. Qual de vós, possuindo no pomar uma árvore que não dá frutos, não dirá ao servo: “Corte aquela árvore e lance-a no fogo, pois seus ramos são estéreis?” Ora, assim como aquela árvore será cortada por causa de sua esterilidade, também a vida do preguiçoso será lançada no refugo, por ter sido estéril em boas obras.

(mais…)

Como os Espíritas Podem Participar da Política?

Terminado o processo eleitoral de 2014, a sociedade brasileira parece que se dividiu em dois grupos rivais, com uma certa dose de intolerância no ar. Os eleitos logo que foram declarados vencedores iniciaram um processo de unificação e pacificação dos ânimos.

A realidade é que houve um despertar politico da sociedade, com todos querendo participar de alguma forma, expressando a sua opinião, nem sempre de maneira democrática.

O que é uma democracia?

Como participar da democracia?

Somos cidadãos que escolhem governantes temporários, ou súditos que elegem pessoas para que resolvam nossos problemas?

Como construir soluções para os problemas da sociedade? Temos que participar? Como participar?

Haroldo Dutra Dias, Juiz de Direito do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, espírita desde os 15 anos, especialista em Língua Grega, Literatura Grega, Paleontografia e Crítica Textual, autor de uma tradução do Novo Testamento editada pelo Conselho Espírita Internacional em 2010, vai nos ajudar a refletir sobre as questões acima.

Assista à palestra (29 minutos) e participe da construção desta nova sociedade que todos esperam… Muita paz.

 

Ansiedade, pânico, depressão – O mal do século

No dia 1º de agosto de 2014 aconteceu na FLF o 5º Encontro de Cultura Espiritual com o tema Ansiedade – O Mal do Século.

Durante duas horas o parapsicólogo clínico Eduardo O. Carvalho explanou e respondeu perguntas sobre o assunto que afeta a todos nós, pois quem não tem um pouco de ansiedade afinal?

Como identificá-la antes que vire uma depressão ou uma síndrome do pânico? Como evitá-la?

Assista a palestra e descubra você mesmo… Muita paz.

Uma visão espírita sobre o divórcio

A maioria de nós cresceu em lares onde a ordem matrimonial reinante sempre foi a de que os cônjuges tem a obrigação de permanecerem juntos até que a morte os separe, e infelizmente, é comum adotarmos essa prática em nossas relações , mesmo quando não haja mais nenhum relacionamento entre os parceiros que não seja a ofensa.

Talvez isto explique em parte as doenças que comumente aparecem entre os casais em crise, já que inconscientemente, a doença pode ser a chave para uma saída honrosa e permissiva de um casamento que adoeceu gravemente e morreu.

Então, podemos nos separar?

(mais…)

Prevenção ao Suicídio Infantil e Adolescente com Jacob Melo

Nesta palestra Jacob Melo aborda como os pais tratam os filhos, impondo-lhes medos, que podem mais tarde produzir fobias que lhes impulsionam ao desejo de abandonar a vida pelo suicídio.

O suicídio é um tema do qual todos nós evitamos até mesmo pensar. Mas se quisermos nos prevenir destes acontecimentos, é melhor analisar as explicações de Jacob, refletir sobre elas, e ajustar nossa forma de relacionamento com as crianças.

Somente o amor, através de relacionamentos saudáveis, constrói famílias saudáveis e uma sociedade melhor, baseada na fraternidade humana.

Boa palestra.

  • 1
  • 2