O Primeiro Centro Espírita do Brasil e o seu Criador Telles de Menezes

artigo09_07_1

Após 8 anos do lançamento do Livro dos Espíritos, em 17 de setembro de 1865, foi fundado em Salvador o Grupo Familiar de Espiritismo por Luiz Olympio Telles de Menezes – primeiro Centro Espírita do Brasil. Além da disseminação dos ensinamentos espíritas, o Grupo também dedicava-se à caridade, ajudando os mais necessitados.

É interessante destacar que durante o primeiro dia de abertura do Centro, durante uma sessão mediúnica, o Grupo recebeu a primeira mensagem dos espíritos através de uma mensagem psicografada, cuja mensagem fora assinada pelo espírito chamado de Anjo Brasil.

Assim que soube da existência do Centro Espírita a Igreja Católica atacou imediatamente. O Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, Dom Manoel Joaquim da Silveira apresentou o Espiritismo para a sociedade como sendo um atentando formal contra a verdade Católica e que a doutrina, por contrariar a religião do Estado, era também contra o Estado.

Luiz Olympio, em defesa da Doutrina, imediatamente escreveu uma carta aberta afirmando que “O Espiritismo tem de passar por provas rudes e nelas Deus reconhecerá sua coragem, sua firmeza e sua perseverança. Os que se ausentam por um simples temor ou por uma decepção, assemelham-se a soldados que somente são corajosos em tempos de paz, mas que, ao primeiro tiro, abandonam as armas”.

Cabe aqui um relato maior sobre Luiz Olympio Telles de Menezes, pois, além de ter fundado o primeiro Centro Espírita do Brasil, foi ele também o responsável pelo primeiro veículo informativo da Doutrina Espírita: o jornal “O Echo D´Alêm-Tumulo”. O jornal teve a sua primeira publicação em julho de 1869 e, em novembro do mesmo ano, foi traduzido e publicado na Revista Espírita (criada por Alan Kardec).

artigo09_07_2

A matéria destinada ao jornal brasileiro é introduzida pelo seguinte trecho:

“O Eco de Além-Túmulo aparece seis vezes por ano, em cadernos de 56 páginas in-4o, sob a direção do Sr. Luiz Olympio Telles de Menezes, ao qual nos apressamos imediatamente a endereçar vivas felicitações, pela iniciativa corajosa de que nos dá prova. Com efeito, é preciso grande coragem de opinião para criar num país refratário como o Brasil um órgão destinado a popularizar os nossos ensinamentos. A clareza e a concisão do estilo, a elevação dos sentimentos ali expressos, são para nós uma garantia do sucesso dessa nova publicação. A introdução e a análise que o Sr. Luiz Olympio faz, do modo pelo qual os Espíritos nos revelaram a sua existência, pareceram-nos bastante satisfatórias. Outras passagens, referindo-se mais especialmente à questão religiosa, dão-nos ocasião para algumas reflexões críticas.”

Luiz Olympio fez de “O Echo D´Além-Túmulo” um instrumento para melhor defender e propagar a Doutrina Espírita, após ser profundamente atacado pela imprensa e Igreja Católica da Bahia. Tal fato pode ser comprovado na passagem apresentada a seguir (extraída da primeira edição de seu jornal):

“A idéia do Espiritismo não foi concebida por ninguém; consequentemente, ninguém é o seu autor. Se os Espíritos não se tivessem manifestado espontaneamente, por certo o Espiritismo não existiria. Portanto, o Espiritismo é uma questão de fato, e não de opinião, não podendo as denegações da incredulidade prevalecerem contra esse fato. A rapidez de sua propagação prova exuberantemente que se trata de uma grande verdade que, necessariamente, há de triunfar de todas as oposições e de todos os sarcasmos humanos; e isso não é difícil de demonstrar, se observarmos que o Espiritismo faz os seus adeptos principalmente na classe esclarecida da sociedade.”

artigo09_08_1

Telles de Menezes também foi um dos defensores da libertação dos escravos. A cada assinatura vendida de “O Echo D’Além-Túmulo”, parte do dinheiro era destinada à compra da libertação de negros e escravos na Bahia. Esta ação muito tem a ver com os ensinamentos de Jesus Cristo, os quais propõem a vivência da fraternidade entre os povos para que todas convivam em harmonia.

Há poucos registros encontrados sobre a vida deste espírito de luz durante a sua vida terrena. Porém, o pouco do que se tem divulgado deixa claro que Luiz Olympio teve muita importância para a disseminação do Espiritismo no Brasil.

Fontes:
http://espiritismoconquista.blogspot.com.br/p/o-primeiro-centro-espirita-do-brasil.html
http://www.redeamigoespirita.com.br/profiles/blogs/fundador-do-primeiro-centr-espirita-do-brasil-o-legado-de-luiz-ol
http://www.ceismael.com.br/artigo/origens-do-espiritismo-brasil.htm
http://www.searabendita.org.br/site/detalhe.php?codigo=124
http://livrariaflamarion.com.br/Espiritualismo/Allan%20Kardec/Revista%20Espirita/AK1869.pdf
rodapeFLF

Compartilhe:

Deixar uma resposta