Uma oração de mãe…

Tanto se escreve sobre a maternidade que se torna difícil ser original sem o auxílio e a inspiração do mundo espiritual.

Os esclarecimentos sobre a importância da maternidade a luz do espiritismo nos proporciona um olhar racional sobre os tais padecimentos num suposto paraíso e auxilia desde o início, a compreensão da importância dessa experiência para o ser imortal.

Assimilar a gravidade do compromisso e a visualização dos primeiros passos dos seres sob sua tutela nos caminhos do bem, são, sem dúvida, dois objetivos prioritários no caminho da maternidade.

Se relatos literários e cinematográficos nos comovem às lágrimas, nada se compara ao relato de mãe numa sessão mediúnica nas vésperas da comemoração ao Dia das Mães, em forma de oração e quem já esteve presente ou foi o protagonista do feito, conhece a emoção que brota nos corações envolvidos.

Partindo do princípio de que nem todos os espíritos quando encarnados compreendam a importância que é a chance de um novo reencarne, não são poucos os que se arrependem , agonizam ou se desesperam no retorno ao mundo espiritual e não encontram seus filhos ou seus pais por questões de afinidades e merecimentos entre outros tantos fatores determinantes dos encontros e desencontros de espíritos.

Não há como não se comover diante da revelação e da constatação da continuidade da vida e do reconhecimento de um coração equivocado pelas dores do mundo físico, mas, que agora livre de suas vestes carnais e conhecedor do projeto espiritual no qual o Cristo depositara toda confiança, chora alertando outros espíritos na mesma condição.

Assim, eis o relato de um espírito que ainda se apresentava como mãe:

Toda mãe almeja encontrar seus filhos no mundo espiritual quando chega aqui… Quer saber como estão e se já se recuperaram de suas lesões e sintomas; todas têm saudades e todas querem notícias também dos que ficaram no plano terreno.

Realmente somos poucas as que temos noções do amor esclarecido, pautado no ensinamento de que nossos filhos nos foram emprestados, e que este empréstimo nos faz adquirir maiores débitos quanto maior for a nossa insubordinação no momento da devolução deste empréstimo ao verdadeiro detentor deste valor.

A dor comparece quando a nitidez do fracasso na empreitada terrena não nos confere nem notícias e nem orações… A não ser dos que nos enviam imagens de pensamentos de vingança e rancor e, precisamos recorrer à misericórdia divina para não enlouquecer.

Tal qual as terapias de grupo na terra, também nós nos auxiliamos mutuamente contando entre nós as nossas experiências sejam elas felizes ou não e, ao final dos estudos, há a apresentação de uma espécie de conclusão formulada e apresentada por um emissário da Casa de Maria de Nazaré.

Quando alcançamos a chance de trabalhar, trabalhamos como fossemos amas de leite na revitalização dos pequenos acima dos oito anos que chegam e que sentem demasiadas saudades do lar e em especial de suas mães…

Certamente, a misericórdia e sabedoria divina executam assim o seu poder. Para os pequenos o reconforto e para nós, muitas vezes ávidas de poder remediar um pouco nossas culpas, um recomeço.

E, por fim, quando somos lembradas em datas de tanto apelo na Terra, somos atraídas, algumas, para perto dos nossos familiares se temos já alguma condição…

Outras de nós, em regime de recuperação já acompanham as equipes de consolação e num movimento mais altruísta, aproximam-se das mães da Terra que padecem pela separação do seu maior tesouro, algumas vezes trazendo notícias daqueles a quem devotamos nosso carinho como fossemos de fato suas mães no mundo espiritual.

Mas aqui como ali, há mães que sofrem profundamente por terem perdido temporariamente seus filhos para as viciações do mundo e nestes casos a semelhança é evidente, pois a única diferença é a dimensão em que isto acontece.

Freqüentemente somos levadas a assistir as reuniões mediúnicas e missas em memória de algum filho ou neto de nossas irmãs internas… São sempre oportunidades máximas para a nossa melhora e por conta disso, presenciamos muitas mães que sentadas nestes locais suplicam alguma forma de comunicação dos seus…

Assim resolvi solicitar a permissão para, em nome desta classe de sofredoras, às quais me misturo e me faço porta-voz, trazer-lhes esses esclarecimentos sobre a nossa ocupação na nova morada. Pedimos tornem pública essas informações para aliviar corações, pois são dores de muitas pessoas e não há efetivamente mal algum nestas notícias:

“… Provavelmente seus entes queridos ainda não estão prontos para dar notícias como vocês esperam que fosse. Borboletas que voam perto, sinos que tingem alguma melodia, um perfume, uma lembrança repentina diante de um comentário de terceiros, podem sim ser alguma forma de comunicação estabelecida… não se aflijam demasiado; tudo está no controle divino e sendo providenciado…”

“… Evitem pensar sobre o que será de vocês sem seus amores, isto é antes a manifestação do egoísmo do que o amor… Quem ama verdadeiramente pensa em como o ser amado estará se habituando á nova morada… E orem ao pai Eterno:_Pai cuida do meu filho”…

Agora e chegada a nossa hora de retorno, permita-me fazer uma prece em nome das mães:

Divino Mestre

Atentai às dores humanas e sobremaneira consolai as mães que sofrem… Que daqui da terra levaram as certezas de reencontrar no mundo espiritual seus filhos amados; transforma em bênçãos esse sentimento e usa os fluidos desta nossa rogativa para aliviar a dor das mães hoje tratadas aqui nestes atendimentos…

Rogamos-Te a intervenção em todos os processos viciosos que ainda permeiam os trabalhos desta laboriosa equipe de trabalho nesta casa de luz… E, em especimaeal pedimos em Ti e por Ti, para que a bondade terna de Maria, aconselhe o espírito materno das mães encarnadas e desencarnadas, a seguirem em frente e acreditarem que o Pai tem novos planos para seus filhos, e que esses espíritos agora necessitam de suas bênçãos maternas para confiarem-se aos cuidados de Deus e prosperarem na pátria espiritual.

Consolai as mães que velam por seus filhos adoecidos na carne, nos vícios, na prostituição e na revolta… E confortai os filhos na orfandade materna.

Consolai as mães que acabam de saber que serão mães sem parceiro…

Abençoai Senhor as mães que na dor descobriram que há uma Mãe Maior que vela por todas nós!

Assim seja!¨

Essa comunicação foi recebida na antevéspera do dia das mães, por psicofonia durante sessão mediúnica, em 18.04.2014.           

Compartilhe:

Deixe uma resposta